Morar em condomínio não é uma tarefa fácil, a maioria das pessoas optam por residir em condomínios fechados por conta da segurança e área de lazer. No entanto, esses serviços não são de graça, os moradores pagam um preço por eles, sendo que esses valores estão inclusos na famosa taxa de condomínio.

As taxas de condomínio são valores estabelecidos e aprovados em assembleia, pago mensalmente por todos os moradores, sendo direcionada para o custeio da manutenção das áreas comuns do prédio. A taxa garante o pagamento da água, energia, salário da equipe de funcionários, manutenção de elevadores, sistemas eletrônicos, manutenção da piscina, jardim e etc. Destacamos que a taxa de condomínio é obrigatória, ainda que o proprietário não esteja ocupando o imóvel.

Quando o condômino deixa de fazer o pagamento da taxa mensal, prejudica as finanças do condomínio, visto que, a fixação do valor da taxa de condomínio é baseada nas despesas do mês e rateada pelas unidades do condomínio. Portanto, a inadimplência deve ser bem gerenciada e cobrada nos seus primeiros meses, evitando a ocorrência de crises financeiras no condomínio, ou até mesmo a contratação de empresas que vêm atuando como financeiras ou factorings e não autorizadas pelo Banco Central.

Vale ressalvar que existem penalidades legais para o condômino inadimplente, dentre elas, ser cobrado judicialmente pelo condomínio, podendo ter o imóvel leiloado para quitação da dívida. Ainda há outras penalidades financeiras para devedores reincidentes, que podem acabar tendo a sua dívida aumentada. O descumprimento reiterado desse dever conduz à possibilidade de ser aplicada a multa prevista no caput do art. 1.337 do código civil. Portanto, priorizar a taxa de condomínio além de resguardar o condômino valoriza e mantem o imóvel com as manutenções preventivas e corretivas em dias.

A inadimplência é um problema grave e traz consequências para todos os residentes do condomínio. Infelizmente, muitos síndicos e assessoria condominial têm que lidar com essa realidade, precisando muitas vezes gerenciar crises com os demais moradores, por conta de condôminos inadimplentes.

O novo código de processo civil do Brasil, autoriza a administração do condomínio ou assessoria condominial a estabelecer multa de 1% a 2% por atraso no pagamento. Se o condômino persistir no não pagamento das taxas, ele corre o risco de ter seu imóvel leiloado por determinação judicial.

Muitos proprietários alugam seus imóveis em condomínios e deixam essas taxas a cargo dos inquilinos, neste caso é importante ressaltar mais uma vez que, mesmo que a taxa de condomínio seja de responsabilidade do inquilino, quem responde na justiça e corre o risco de perder o imóvel é o proprietário.

Se você está com dificuldade para realizar os pagamentos das taxas condominiais é fundamental informar primeiramente a assessoria condominial, um pedido de renegociação de dívida é uma boa opção para os condôminos inadimplentes, nesse caso.

Se a negociação não obtiver resultado, a administração do condomínio pode pedir a execução da sua dívida pela justiça. Levando o proprietário a perder seu imóvel, se não pagar os valores em atraso acrescidos de multas no prazo estabelecidos pela justiça. A fim de evitar esses tipos de transtornos, muitos condomínios têm estabelecido descontos no valor das taxas para quem paga no prazo, tentando assim, diminuir o índice de condôminos inadimplentes.

Lembre-se, pagar as taxas do condomínio é obrigação do proprietário. O pagamento da taxa condominial traz muitos benefícios para todos os residentes, a exemplo de melhorias estruturais, que podem ser realizadas sem o acréscimo exorbitantes de taxas extras, além do condomínio não ficar inadimplente no pagamentos de seus serviços e mão de obra.

Agora que você já sabe quais são as consequências do não pagamento do seu condomínio, é hora de organizar o orçamento e ficar atento para não cair em uma verdadeira “bola de neve”, que são as dívidas relacionadas a condomínio. Gostou da dica? Compartilhe com seus vizinhos e amigos!

Precisa de ajuda?