A inadimplência em condomínio é gerada quando as taxas condominiais destinadas para a manutenção não são quitadas. Esse déficit pode ocorrer por diversas razões, mas em 2020 a previsão é que a falta de pagamento aumente graças, principalmente, a um fator: o novo coronavírus.

A Covid-19, como também é conhecida, além de provocar a crise na saúde tem causado também a recessão econômica em todo o mundo. Para conter a disseminação do vírus, está entre as medidas de prevenção, o isolamento social. Com isso, alguns setores foram fechados ou precisaram diminuir a produção.

Os efeitos do novo coronavírus também tem atingido a gestão de condomínios. A inadimplência no pagamento da cota condominial pode subir.  Mas como conter esse problema em tempos de pandemia? Saiba as medidas importantes.

 

 

 

 

Coronavírus: como solucionar a inadimplência em condomínio?

 

Para conter a inadimplência em condomínio, há algumas medidas importantes que podem conter ou minimizar a insuficiência na arrecadação condominial, entre elas:

 

 

Monitorar os atrasos dos condôminos

 

Para evitar que a inadimplência em condomínio aumente, é importante que o síndico realize uma avaliação minuciosa dos custos apoiado na previsão orçamentária. Isso inclui, portanto, monitorar se há uma crescente nos atrasos ou falta de pagamento das cotas condominiais.

Manter a atenção nesse momento é fundamental para que a inadimplência não torne-se uma “bola de neve” e, com isso, comprometa a estabilidade do fluxo de caixa. Quanto mais cedo detectar a baixa na arrecadação, maiores serão as chances para conter o problema.

 

 

 

Plano de contingência

 

Se ao fazer a monitoria, o síndico perceber que o número de atrasos no pagamento das cotas condominiais tem subido, é preciso realizar um plano de contingência. O síndico pode buscar ajuda de uma assessoria condominial para traçar cenários prováveis que podem surgir e elaborar soluções.

 Entre uma das ações que pode conter no plano de contingência é o comunicado de pagamento aos condôminos. Ao ser detectado atrasos, o síndico deve emitir o aviso do dever de quitar o débito. Caso persista, será preciso enviar um novo comunicado.

 

 

 

Fundo de reserva

 

A crise econômica causada pelo novo coronavírus, sem dúvidas, pegou todos de surpresa. A alta na inadimplência é esperada em todos os setores. Por isso, ter um planejamento emergencial para utilizar em cenários semelhantes ou como esse é uma solução preventiva importante.

Para evitar que o condomínio tenha o déficit de verba e, outros condôminos precisem pagar mais para suprir a conta, o síndico pode recorrer ao fundo de reserva. Esse valor deve ser destinado para quitar despesas emergenciais.

É importante pontuar que esse valor deve ser reposto e, além disso, a isenção de taxa condominial não deve ser realizada. Afinal, a queda na arrecadação é capaz de comprometer o funcionamento do condomínio e, portanto, os valores não podem deixar de ser cobrados. 

 

 

 

 

A importância da assessoria condominial

 

Administrar a economia de um condomínio, principalmente diante de um cenário de crise, não é uma ação simples, pois requer, além de uma boa gestão, conhecimentos em finanças. A solução para isso é a assessoria condominial.

 

O profissional assessor, além de ajudar nas finanças é capaz ainda de fornecer os seguintes auxílios: 

 

  • Elaboração de planos preventivos;
  • Representação em audiências;
  • Fazer cobranças para evitar a inadimplência em condomínio;
  • Produção de documentos para a comunicação com os condôminos;
  • Fornecer consultorias para ações administrativas.

 

Precisa de ajuda?